Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Canal do Blog no YouTube

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

Rádio Web

Festa de Nossa Senhora do Carmo, no Povoado Lagoinha, em Água Branca - PB

TV PREFEITURAS

Art Regina, Art com Grafite

Comunicação Audiovisual -Tavares/PB.

 Fone: (83) 9 9869-8213. Hélio Mendes.

STAR FOTO E VÍDEO

 

By Fábio Arrud@&Silvan@

Praça Coronel José Pereira -04

Centro-Princesa Isabel - PB

CONTATO: 041 83 999463213

         FECEBOOK

Pauliano Tomaz

Governo prepara anúncio de seu ambicioso programa de privatizações

Governo prepara anúncio de seu ambicioso programa de privatizações

Para as próximas semanas, o governo federal está preparando um anúncio de seu ambicioso...

FAÇA SUA DOAÇÃO: Ajude o Hospital Napoleão Laureano manter atendimentos

FAÇA SUA DOAÇÃO: Ajude o Hospital Napoleão Laureano manter atendimentos

O hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa, Capital do Estado, passa por lamentáveis...

Carnaibano é encontrado morto na rodovia PB-306 entre Quixaba e Tavares

Carnaibano é encontrado morto na rodovia PB-306 entre Quixaba e Tavares

Foi localizado nas primeiras horas desta segunda feira 15, na Rodovia Estadual PB 306, na...

Ministério da Saúde suspende fabricação de 19 remédios gratuitos

Ministério da Saúde suspende fabricação de 19 remédios gratuitos

O Ministério da Saúde rompeu contratos firmados com laboratórios e 19 remédios deixarão...

Serra-talhadense é enganado por dois homens em banco e termina com prejuízo de R$ 19 mil

Serra-talhadense é enganado por dois homens em banco e termina com prejuízo de R$ 19 mil

Na última sexta-feira (12) um senhor, de 64 anos, foi vítima de estelionato ao chegar na...

 

A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou, nesta terça-feira (14), proposta que obriga o preso a ressarcir os gastos do Estado com sua manutenção. O projeto de lei (PLS 580/2015) que altera a Lei de Execução Penal segue agora para o plenário, onde será submetido à análise dos 81 senadores. Caso passe na nova etapa, será encaminhado à Câmara.

O texto, de autoria do ex-senador Waldemir Moka (MDB-MS), chegou a ser analisado no plenário no dia 7, mas foi remetido à CDH a pedido do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). O receio de alguns parlamentares era de que a imposição do pagamento levasse o apenado a trabalhos forçados ou piorasse a situação dos condenados endividados na sua reintegração, já que poderão estar com uma dívida elevada em seu nome.

A proposta recebeu voto favorável da relatora, a senadora Soraya Thronicke (PSL-MS). Ela acolheu uma emenda apresentada pelo senador Humberto Costa (PT-PE) para impedir que os ressarcimentos 

sejam cobrados de presos provisórios, antes de uma sentença definitiva. Nesses casos, as quantias recebidas pelo Estado serão depositadas judicialmente. Só serão revertidas para o pagamento das despesas de manutenção no caso de condenação final. Em caso de absolvição, os valores depositados serão devolvidos ao preso.

Soraya introduziu um teto no desconto das despesas com a manutenção do preso, caso ele não tenha condições de arcar com todos os custos. Nessas situações, o abatimento será fixado em até um quarto da remuneração recebida por ele.

"Ainda que o preso trabalhe e que a remuneração viabilize os descontos em favor do Estado, pode ser que o valor auferido durante a execução da pena seja insuficiente para custear todas as despesas de manutenção", diz a senadora.

Também buscando atender detentos sem condições financeiras, a senadora sugere a suspensão da exigência do débito por até cinco anos, aguardando uma eventual modificação da condição econômica do devedor, extinguindo-se a obrigação após este prazo.

A parlamentar declarou estar ciente de que nem sempre o Estado terá condições de prover oportunidades de trabalho para os encarcerados. Nesses casos, não terá como exigir que o detento sem recursos financeiros arque com os custos de sua manutenção.

Com as exceções dos presos provisórios e daqueles sem condição econômica, o substitutivo mantém a ideia original da proposta, prevendo o ressarcimento obrigatório ou o pagamento por meio de trabalho para aqueles que não possuírem recursos próprios.

O preso que tiver condições financeiras mas se recusar a pagar ou a trabalhar será inscrito na dívida ativa da Fazenda Pública. O texto também mantém emenda incluída por Simone Tebet (MDB-MS) para prever que o preso sem condições financeiras que ainda tiver restos a pagar por seus gastos seja perdoado da dívida ao ser posto em liberdade.

Para a relatora, o projeto tem caráter pedagógico e abre caminho para a reinserção social do preso. "Aprender que o trabalho é o meio pelo qual se ganha o dinheiro para custear o que queremos e o que precisamos em nossas vidas é princípio para se viver em sociedade. Saber o valor do trabalho e o valor do dinheiro é questão básica para reinserção social", afirma Soraya em seu parecer.

Com informações da Agência Senado

https://congressoemfoco.uol.com.br/seguranca-publica/preso-tera-de-pagar-por-suas-despesas-decide-comissao-do-senado/