Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

CANTINHO DO LANCHE

INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

TV diário do Sertão Ao Vivo

HELIOMAR CD'S

CANAL DE PADRE FÁBIO NO YOUTUBE

QR Code - Aponte a câmera do celular para o código

Rafael Jacinto no YouTube

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

Art Regina, Art com Grafite

Comunicação Audiovisual -Tavares/PB.

Pauliano Tomaz

Visualizações

contador de acesso
PRINCESA ISABEL: Secretária de saúde visita UBS’S e fala sobre resolutividade da Rede de Atenção Básica

PRINCESA ISABEL: Secretária de saúde visita UBS’S e fala sobre resolutividade da Rede de Atenção Básica

A Secretária de Saúde de Princesa Isabel, Nininha Lucena, visitou as Unidades...

TAVARES: Boletim Epidemiológico e Mapa referente aos casos confirmados dos dias 21 a 25 de setembro

TAVARES: Boletim Epidemiológico e Mapa referente aos casos confirmados dos dias 21 a 25 de setembro

A prefeitura de Tavares, no Sertão da Paraíba, por meio da Secretaria Municipal de...

Paraíba Notícia

Por Edmilson Pereira

A Polícia Federal na Paraíba deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 20/11/2019, pela Delegacia de Patos/PB, em conjunto com a Controladoria-Geral da União – CGU e com o Ministério Público Federal – MPF, a Operação RECIDIVA 4, com objetivo de combater fraudes na aplicação de verbas federais descentralizadas em convênios celebrados com a Fundação Nacional da Saúde (Funasa) nos municípios paraibanos de Ibiara, Santo André, Catingueira e Triunfo.

A operação contou com a participação de 75 Policiais Federais, além de auditores da CGU, sendo realizado o cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados e empresas, bem como 5 mandados de prisão e 1 mandado de afastamento de função pública.

As medidas acontecem nas cidades de João Pessoa, Santa Rita, Campina Grande, Patos, Ibiara, Triunfo, Catingueira e Santo André, na Paraíba, além de Parnamirim, no Rio Grande do Norte.

As ordens foram expedidas pela 14ª Vara Federal em Patos-PB.

ENTENDA O CASO
A investigação que resultou na deflagração da quarta fase da Operação Recidiva foi iniciada a partir de análise do conteúdo apreendido na segunda fase da Operação.

A investigação demonstrou que um dos empresários envolvidos (engenheiro) mantinha contato com diversos servidores e empreiteiros paraibanos, com intuito de fraudar licitações em cidades onde tinha acesso facilitado.
As licitações fraudadas ultrapassam o valor de 5,5 milhões de reais.

Os crimes envolvidos são: dispensa ilegal de licitação, fraude licitatória, associação criminosa, peculato, corrupção passiva e ativa, além de lavagem de dinheiro, cujas penas somadas ultrapassam 20 anos de reclusão.

NOME DA OPERAÇÃO
O nome da operação se dá em razão dos investigados serem pessoas conhecidas pelo vasto histórico de reiteração criminosa, voltando a delinquir mais uma vez.

Será concedida entrevista coletiva às 10h, em conjunto com a CGU/PB e MPF/PB, na nova sede da Polícia Federal, localizada em João Pessoa/PB (Rua Aviador Mário Vieira de Melo, conjunto João Agripino, às margens da BR 230).