Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Canal do Blog no YouTube

CANAL DE PADRE FÁBIO NO YOUTUBE

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

Art Regina, Art com Grafite

Comunicação Audiovisual -Tavares/PB.

STAR FOTO E VÍDEO

 

By Fábio Arrud@&Silvan@

Praça Coronel José Pereira -04

Centro-Princesa Isabel - PB

CONTATO: 041 83 999463213

         FECEBOOK

Pauliano Tomaz

Polícia Federal combate extração ilegal de areia na Paraíba

Polícia Federal combate extração ilegal de areia na Paraíba

Portal WSCOMA Polícia Federal da Paraíba deflagrou, na manhã desta...

Prefeitura de Princesa Isabel realiza melhorias na estrada da Moça Branca; cronograma segue em todo município

Prefeitura de Princesa Isabel realiza melhorias na estrada da Moça Branca; cronograma segue em todo município

A Prefeitura de Princesa Isabel/PB, segue melhorando as estradas vicinais do...

PRINCESA ISABEL: Prefeitura reúne estudantes universitários e renova Bolsa Transporte

PRINCESA ISABEL: Prefeitura reúne estudantes universitários e renova Bolsa Transporte

A Prefeitura de Princesa Isabel, no Sertão da Paraíba, reuniu na manhã desta...

Sikêra Júnior triplica audiência da RedeTV! com estreia do Alerta Nacional

Sikêra Júnior triplica audiência da RedeTV! com estreia do Alerta Nacional

A estreia de Sikêra Júnior com o Alerta Nacional na RedeTV! mais que triplicou a...

Paraibano de 19 anos é primeiro lugar em medicina na USP

Paraibano de 19 anos é primeiro lugar em medicina na USP

G1 PBO paraibano Gabriel Araújo Medeiros, de 19 anos, reuniu três anos de...

Por Thiago Moraes

Em meio a rumores de delação premiada, o ex-secretário executivo de turismo da Paraíba, Ivan Burity, preso na manhã da quarta-feira, 9 de outubro, na 5ª fase da Operação Calvário, que investiga desvios de recurso públicos da saúde e educação estadual nos governos de Ricardo Coutinho (PSB), completa neste domingo, 8 de dezembro, 60 dias atrás das grades.

Ivan está detido na Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa, assim como o diretor do Hospital Geral de Mamanguape, Eduardo Simões Coutinho, também preso na ocasião. Apenas familiares de 1º e 2º grau e advogados estão autorizados a visitar os presos.

Uma delação premiada feita pelo ex-assessor da Secretaria de Administração do Estado, Leandro Nunes Azevêdo, levou as investigações da operação Calvário até Ivan Burity. O auxiliar nos governos de Ricardo Coutinho (PSB), desde a prefeitura, e mantido por João Azevêdo (PSB), na atual gestão, é apontado como recebedor de propinas. A influência dele ocorreria tanto em contratos da saúde, quanto da educação, com destaque para esta última.

No âmbito da Educação, o destaque ficaria por conta da aquisição de materiais didáticos pelo Governo do Estado da Paraíba. A organização criminosa, segundo o Gaeco, tinha em Burity o especialista na abertura de caminho para contratação das empresas, mediante contratos fraudulentos e o consequente recebimento de propina.

Três empresas são relacionadas no suposto esquema: Conesul Plus, do empresário Márcio Nogueira Vignoli e gerenciada por Hilário Ananias Queiroz Nogueira; Brink Mobil, cujo sócio administrador é Valdemar Ábila, e a Grrafset, de Vladmir Neiva. As investigações também apontam a existência de outras empresas que também teriam contribuído com o esquema de pagamento e recebimento de propina ao grupo criminoso. Entre elas está a Editora Inteligência Relacional, ligada a Jardel Aderico da Silva, também preso na atual fase da operação.

Sobre Ivan Burity, Leandro narrou também episódio, em junho de 2014, no qual ele teria transportado R$ 1,2 milhão trazido de cidade não identificada. De posse deste dinheiro, R$ 300 mil, teria sido destinado ao ex-deputado Rômulo Gouveia, já falecido, então vice-governador do Estado.

No dia 22 de novembro, Ivan Burity trocou de advogados, ato que motivou expectativa de uma delação premiada. A especulação em torno de uma suposta delação ganhou força pela advogada escolhida ser um nome especialista em delações premiadas. Veronica Sterman advogou na Lava Jato desde a primeira fase, em 2014, conseguiu que o ex-ministro Paulo Bernardo, seu cliente, fosse absolvido das acusações naquela operação na segunda turma do STF. Sua dissertação de mestrado na USP, inclusive, é sobre “colaboração premiada”.

Fonte: Paraíbarádioblog

Créditos: Paraíbarádioblog