Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

CANTINHO DO LANCHE

INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

TV diário do Sertão Ao Vivo

HELIOMAR CD'S

CANAL DE PADRE FÁBIO NO YOUTUBE

QR Code - Aponte a câmera do celular para o código

Rafael Jacinto no YouTube

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

Art Regina, Art com Grafite

Comunicação Audiovisual -Tavares/PB.

Pauliano Tomaz

Visualizações

contador de acesso
Menos de 10 cursos superiores à distância alcançam nota máxima no Enade de 2019

Menos de 10 cursos superiores à distância alcançam nota máxima no Enade de 2019

Apenas 511 dos 8.368 cursos superiores avaliados pelo Exame Nacional de Desempenho de...

João Azevêdo anuncia para novembro convocação de 590 professores concursados

João Azevêdo anuncia para novembro convocação de 590 professores concursados

O governador João Azevedo disse hoje que assina em novembro a convocação de 590 novos...

Governo da PB renova estado de calamidade pública por 180 dias devido ao coronavírus

Governo da PB renova estado de calamidade pública por 180 dias devido ao coronavírus

O Governo da Paraíba renovou por mais 180 dias o decreto de estado de calamidade pública,...

Nenhuma descrição disponível.

A Polícia Federal (PF) faz hoje (15) operação contra um esquema de pagamento de propina por empresários a policiais em troca de proteção em investigações. Estão sendo cumpridos dois mandados de prisão preventiva e 33 mandados de busca e apreensão.

Essa é a segunda fase da operação Tergiversação, desencadeada em 2019, que investigou a cobrança por policiais federais de propinas a investigados nos inquéritos Titanium (de fraudes envolvendo o plano de saúde dos Correios) e Viupostalis/Recomeço (de fraudes envolvendo o Postalis, fundo de pensão dos Correios).

O esquema de corrupção envolvia um delegado e um escrivão do Núcleo de Repressão a Crimes Postais da Delegacia Federal de Repressão a Crimes contra o Patrimônio (Delepat) do Rio de Janeiro.

Na operação de hoje, os alvos são outros empresários que participaram do esquema de pagamento de propinas aos agentes públicos e advogados que atuaram como intermediários das cobranças das propinas. De acordo com a PF, também são alvos servidores públicos federais e estaduais.

Ainda segundo a PF, as vantagens indevidas recebidas pelos integrantes da organização criminosa giram em torno de R$ 10 milhões. Agência Brasil