Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Vereador Wilson do Silvestre/Tavares-PB

"Trabalho com Transparência"

Vereadora Lenira - Tavares/PB

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

DO  SERTÃO PARAIBANO

Rádio Web

KM JUREMA

    Org. Pauliano Tomaz (Mimim)

Art Regina, Art com grafite

O CANAL DO BLOG NO YOUTUBE

     Comunicação Audiovisual                  

        fone: (83)9 98698213

            Hélio Mendes

STAR FOTO E VÍDEO

  

By Fábio Arrud@&Silvan@

Praça Coronel José Pereira -04

Centro-Princesa Isabel - PB

CONTATO: 041 83 999463213

                   FECEBOOK

ESPAÇO DEMOCRÁTICO, MANDE 

SUAS INFORMAÇÕES.

VOCÊ É RESPONSÁVEL PELO

CONTEÚDO QUE NOS ENVIA!!!

A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, texto

 

Homem esfaqueia quatro pessoas em Roças Velhas, Zona Rural de Calumbi

Homem esfaqueia quatro pessoas em Roças Velhas, Zona Rural de Calumbi

 Um homem com acesso de fúria, após término de relacionamento, feriu quatro pessoas...

BOLÃO DE VAQUEJADA DE DÉ  DE ZEQUINHA ACONTECE NESTA SEXTA-FEIRA (20) NO MANGUENZA EM NOVA OLINDA/PB

BOLÃO DE VAQUEJADA DE DÉ DE ZEQUINHA ACONTECE NESTA SEXTA-FEIRA (20) NO MANGUENZA EM NOVA OLINDA/PB

 O bolão de Vaquejada de Dê de Zequinha terá início a partis das 20h desta...

Candidatos podem consultar local onde farão o Enem a partir desta sexta

Candidatos podem consultar local onde farão o Enem a partir desta sexta

 Os candidatos que vão participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)...

Prefeito de Santa Terezinha anuncia redução do próprio salário, e corte de 100% em despesas com festas

Prefeito de Santa Terezinha anuncia redução do próprio salário, e corte de 100% em despesas com festas

 Zé Freitas/Foto: ReproduçãoO prefeito de Santa Terezinha, Geovane...

Comoção marca sepultamento de funcionário público em Nova Olinda

Comoção marca sepultamento de funcionário público em Nova Olinda

Por Ary Ramalho Fotos: Zé Filho Dor e comoção marcaram o...

 

Vaccari e Dirceu: ex-tesoureiro é absolvido pela segunda vez, enquanto Dirceu tem a pena aumentada.

Hylda Cavalcanti, via RBA

A oitava turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) decidiu rejeitar o recurso de apelação apresentado pela defesa do ex-ministro José Dirceu contra sentença proferida pelo juiz Sérgio Moro e, em vez disso, aumentou a pena de Dirceu para 30 anos de prisão em regime fechado. A defesa do ex-ministro, porém, pode interpor junto ao tribunal embargos de declaração, um tipo de recurso em que o advogado pede para os juízes esclarecerem pontos da sentença.

A sentença de Moro, da qual os advogados recorreram, tinha condenado o ex-ministro a 23 anos e três meses de prisão na operação Lava-Jato. O colegiado da turma não apenas rejeitou o recurso como também aumentou a pena em mais sete anos. Resta saber se será cumprida a regra estabelecida anteriormente pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de prisão para condenados em segunda instância.

O entendimento foi aprovado num primeiro momento pelos ministros da mais alta corte do país, mas a revisão desta norma ainda está sendo debatida entre os ministros. E vários deles admitem a possibilidade de mudar de posição.

Caberá, agora, aos magistrados, decidir se o caso de Dirceu, em razão da sua idade – 71 anos – não inspira maiores cuidados, o que pode levar à manutenção da sua prisão em regime domiciliar – ou à decretação de sua transferência para um presídio.

Absolvição de Vaccari
O resultado do julgamento não abalou representantes de campanha de apoio ao ex-ministro, lançada ontem nas redes sociais, intitulada “Eu acredito em Zé Dirceu”. Representantes da organização do movimento destacaram que pretendem realizar, nos próximos dias, um ato público de apoio a ele em São Paulo.

No mesmo julgamento, também tiveram condenações confirmadas o ex-diretor da Petrobras Renato Duque e o ex-vice-presidente da Engevix Gerson de Mello Almada.

Por outro lado, os magistrados da turma absolveram o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, por inexistência de provas. Esta é a segunda vez que Vaccari é absolvido pela mesma Turma do TRF4. A primeira vez foi no fim de junho deste ano, quando o tribunal reformou condenação de Moro, na Operação Lava-Jato.

No curso desse processo relacionado à Engevix, o TRF4 conferiu o mesmo veredito da absolvição anterior: as acusações são ancoradas em delações que não foram acompanhadas de apresentação de provas.

Em nota, a defesa de Vaccari diz “que a Justiça decidiu corretamente, pois tanto a denúncia, como também a sentença recorrida, tiveram por base exclusivamente palavra de delato”. A defesa ressalta que não se podem considerar informações trazidas por delator que estes não possam comprovar: “Cabe ao Estado buscar provas que confirmem o que o delator falou. Assim, a palavra de delator deve ser recebida com muita reserva e total desconfiança, pois aquele que delata, o faz para obter vantagem pessoal, que pode chegar ao perdão judicial”.

A senadora Gleisi Hoffmann, presidenta do PT, afirma que a segunda absolvição de Vaccari no TRF4 mostra que o Judiciário pode corrigir as arbitrariedades da Vara de Curitiba. “O PT confia que também serão reconhecidas as injustiças contra o companheiro José Dirceu, que tem nossa total solidariedade”.

Na primeira condenação de Moro reformada pelo TRF4, o juiz de Curitiba havia sentenciado Vaccari a 15 anos e quatro meses de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa, atribuídas a ele com base em delação premiada. Apesar da absolvição na segunda instância, manteve o petista em prisão preventiva, associando-a a processo decorrente de delação do publicitário João Santana. Não é, portanto, uma condenação ratificada o que mantém o ex-dirigente petista preso, mas as convicções de Sérgio Moro.

Outros réus
O processo de agora incluiu ainda três réus ligados a José Dirceu: os ex-sócios da JD Consultoria, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão de Dirceu, Júlio Cesar Santos, e o ex-assessor Roberto Marques, que tiveram as penas aumentadas. Dois réus sócios da Engevix, os executivos José Antunes Sobrinho e Cristiano Kok, tiveram a absolvição mantida. Enquanto o lobista Fernando Antônio Guimarães Hourneaux de Moura teve a pena diminuída.

Ao proferir seu parecer, o relator do processo, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, afirmou que os esquemas descobertos na Operação Lava-Jato violaram princípios norteadores da administração pública como a legalidade, a moralidade e a eficiência.

“Embora nesses casos dificilmente haja provas das vantagens indevidas, adoto a teoria do exame das provas acima de dúvida razoável”, afirmou o magistrado. O advogado de defesa de Dirceu ainda não se manifestou a respeito do resultado do julgamento.