Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

Vereadora Lenira - Tavares/PB

REAL JUREMA CAMPEÃ 2017 DO CAMPEONATO TAVARENSE DE FUTEBOL

 

 

 

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

DO  SERTÃO PARAIBANO

Rádio Web

KM JUREMA CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E OUÇA A RÁDIO AO VIVO

Art Regina, Art com grafite

O CANAL DO BLOG NO YOUTUBE

     Comunicação Audiovisual                  

        fone: (83)9 98698213

            Hélio Mendes

STAR FOTO E VÍDEO

  

By Fábio Arrud@&Silvan@

Praça Coronel José Pereira -04

Centro-Princesa Isabel - PB

CONTATO: 041 83 999463213

                   FECEBOOK

 

 

Prefeitura de Tavares garante merenda escolar de qualidade para os alunos da rede municipal

Prefeitura de Tavares garante merenda escolar de qualidade para os alunos da rede municipal

A Prefeitura de Tavares, no Sertão da Paraíba, tem investido bastante na garantia e...

 Lula pode ter pena reduzida pelo STF, diz Gilmar Mendes

Lula pode ter pena reduzida pelo STF, diz Gilmar Mendes

Agência Brasil O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse...

De ontem para hoje o Açude de Coremas pegou mais 19 centímetros d’água

De ontem para hoje o Açude de Coremas pegou mais 19 centímetros d’água

Foto: José AlbertinoO secretário de Meio Ambiente, Pesca e Recursos Hídricos de...

Homem é detido suspeito de abusar sexualmente de cadela em Toritama, PE

Homem é detido suspeito de abusar sexualmente de cadela em Toritama, PE

Crime chegou a ser filmado, de acordo com informações da Polícia Civil Um homem...

Princesa Isabel: Inicia 20ª campanha Nacional de vacinação contra influenza

Princesa Isabel: Inicia 20ª campanha Nacional de vacinação contra influenza

A 20ª campanha Nacional de vacinação contra influenza se inicia no dia 23 de abril e vai...

Diretor do Fortaleza é morto a tiros em frente a agência bancária

O diretor de Esportes Amadores e Olímpicos do Fortaleza, Roberto Mamede Studart Soares,...

Ex-presidente foi condenado a 12 anos de prisão pelo TRF-4. Ministros poderão deixar presidente recorrer de condenação em liberdade ou permitir a prisão após a segunda instância.

O ex-presidente Lula, durante visita a cidade de São Miguel das Missões (RS) no último dia 22 (Foto: Ricardo Marchetti/Agência F8/Estadão Conteúdo)

O ex-presidente Lula, durante visita a cidade de São Miguel das Missões (RS) no último dia 22

(Foto: Ricardo Marchetti/Agência F8/Estadão Conteúdo)

Por Renan Ramalho, G1, Brasília

O Julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (4) pelo Supremo Tribunal Federal (STF) definirá se e quando ele poderá ser preso por causa da condenação por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex em Guarujá (SP).

O ex-presidente já teve a condenação confirmada em segunda instância – no caso, pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre.

A defesa dele recorreu ao STF por meio de um habeas corpus preventivo para evitar a prisão e o início do cumprimento da 12 anos e 1 mês de prisão. Os advogados argumentam que a Constituição só prevê a execução da pena após esgotados os recursos em todas as instâncias da Justiça.

No julgamento, os 11 ministros da Corte definirão se Lula pode começar a cumprir a pena após o fim da tramitação do processo na segunda instância ou se pode recorrer em liberdade por mais tempo.

Se a maioria dos ministros aceitar o habeas corpus e evitar a prisão de Lula, há três possibilidades:

Permitir que Lula recorra da condenação em liberdade até o chamado “trânsito em julgado” do processo, ou seja, até o esgotamento de todos os recursos possíveis no Judiciário, contando a terceira instância (no caso, o Superior Tribunal de Justiça) e a quarta instância (o próprio STF), como pede a defesa;

Deixar que ele recorra em liberdade até a decisão final sobre a condenação em terceira instância (no STJ);

Permitir que ele fique livre até uma decisão definitiva do STF, que valha para qualquer cidadão, sobre a possibilidade de se iniciar a pena após condenação em 2º instância - a presidente da Corte, Cármen Lúcia, já disse que não há previsão de que o Supremo analise novamente esse assunto.

Se, por outro lado, a maioria negar o pedido de Lula e permitir a prisão após a condenação da segunda instância, a execução da pena ainda dependerá de mais alguns passos no TRF-4. Continue lendo...