Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

Rádio Web

KM JUREMA

Org. Pauliano Tomaz

Art Regina, Art com Grafite

Comunicação Audiovisual -Tavares/PB.

 Fone: (83) 9 9869-8213. Hélio Mendes.

STAR FOTO E VÍDEO

 

By Fábio Arrud@&Silvan@

Praça Coronel José Pereira -04

Centro-Princesa Isabel - PB

CONTATO: 041 83 999463213

         FECEBOOK

Maia apoia retirada do BPC e da aposentadoria rural da reforma da Previdência

Maia apoia retirada do BPC e da aposentadoria rural da reforma da Previdência

Luis Macedo/Câmara dos DeputadosAgência Câmara Notícias O presidente da...

Avianca encerra rota para João Pessoa a partir de abril; veja mais trechos afetados

Avianca encerra rota para João Pessoa a partir de abril; veja mais trechos afetados

Fonte: Paraiba.com.brA Avianca Brasil anunciou, nesta terça-feira (26), que vai...

Mãe bate na filha usando facão em cidade do Sertão da Paraíba, confira

Mãe bate na filha usando facão em cidade do Sertão da Paraíba, confira

Imagem da InternetUma menor de idade, procurou o Conselho Tutelar da cidade de Monte...

TV Correio repercute situação de famílias catingueirenses que não conseguem enterrar seus parentes

TV Correio repercute situação de famílias catingueirenses que não conseguem enterrar seus parentes

A equipe da TV Correio, afiliada a Rede Record de televisão, esteve nesta...

Governo Municipal de Água Branca e SEBRAE realizam palestra: "como vender pelo instagram”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A família da jovem Victória Albuquerque, morta no ano passado no município de Cajazeiras, no Sertão paraibano, a 490 quilômetros de João Pessoa, ainda não teve o direito de enterrar os restos mortais da garota. Victória desapareceu em julho e, no dia 15 de agosto, um agricultor encontrou os ossos que seriam da vítima.
 
O material foi recolhido para perícia, mas nunca devolvido aos familiares, que lamentam não terem oportunidade de dar um enterro digno à jovem.

Em entrevista à TV Sertão da Paraíba, a mãe de Victória, Verônica Albuquerque, lamentou a demora nos trâmites legais e apelou para o apoio das autoridades, incluindo o governador Ricardo Coutinho (PSB).
 
“Já que ele decidiu ficar no governo, que ele olhe para o povo. E eu sou esse povo que colocou o senhor no poder. Então, eu tenho o direito de receber os restos mortais da minha filha. Eu faço esse apelo”, disse a mulher.
 
DNA inconclusivo
 
Ao Portal Correio, o diretor-geral do Instituto de Perícia Científica (IPC), Israel Aureliano, afirmou que já foram feitos 12 exames de DNA a partir dos restos mortais da jovem e de material genético de familiares, mas todos os exames foram inconclusivos para determinar se os restos mortais são de Victória Albuquerque.
 
“Nossa dificuldade é que não ainda conseguimos estabelecer ligação genética de DNA entre os retos mortais e o material genético dos familiares. O exame pode dar três resultados: positivo, em caso de material genético sendo da jovem; negativo, caso o material não sendo dela; e inconclusivo, quando não conseguimos definir se o material é ou não dela. Até agora só obtivemos resultado inconclusivo”, disse Israel Aureliano.
 
Porém, um exame recentemente foi feito com os materiais genéticos disponíveis, mas o resultado pode não ter sido encaminhado para a Polícia Civil.
 
“Eu sei que tivemos um exame recente desse caso e que o laudo já havia sido dado. Mas, por conta do problema de fechamento do IPC não tenho como afirmar se esse exame foi entregue à Polícia Civil. Iremos entrar em contato com o delegado do caso para verificar a situação”, contou o diretor do IPC.
 
O Portal Correio tentou contato com o delegado seccional da Polícia Civil em Cajazeiras, Glauber Fontes, para saber se a delegacia já havia recebido o último exame, mas as ligações não foram atendidas.
 
O caso
 
Victória Albuquerque tinha 17 anos quando foi assassinada. Ela esteve desaparecida por cerca de 40 dias. Quando ossos foram encontrados próximo a um açude na Zona Rural de Cajazeiras, junto a peças de roupa e calçados, a mãe de Victória confirmou que aqueles eram os pertences da jovem. 


Fonte: Portal Correio