Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

REAL JUREMA CAMPEÃ 2017 DO CAMPEONATO TAVARENSE DE FUTEBOL

 

 

 

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

Rádio Web

KM JUREMA CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E OUÇA A RÁDIO AO VIVO

Art Regina, Art com grafite

  Comunicação Audiovisual

STAR FOTO E VÍDEO

 

By Fábio Arrud@&Silvan@

Praça Coronel José Pereira -04

Centro-Princesa Isabel - PB

CONTATO: 041 83 999463213

         FECEBOOK

Polícia ainda não sabe quem causou acidente que deixou quatro mortos no Sertão da PB

Polícia ainda não sabe quem causou acidente que deixou quatro mortos no Sertão da PB

O carro de passeio ficou destruído com a colisãoFoto: Reprodução/WhatsAppQuatro...

Homem-bomba mata 14 pessoas no Afeganistão

Homem-bomba mata 14 pessoas no Afeganistão

Imagem da internet Um homem-bomba realizou um ataque perto do...

Queda de avião mata deputado estadual do PSDB

Queda de avião mata deputado estadual do PSDB

O deputado estadual Bernardo Ribas Carli (PSDB), 32 anos, morreu após a queda de uma...

Acidente envolvendo Ambulância de Conceição e Carro de Lucilene Gerente da Caixa de Itaporanga mata 4 pessoas

Acidente envolvendo Ambulância de Conceição e Carro de Lucilene Gerente da Caixa de Itaporanga mata 4 pessoas

O site Diamante Online apurou que um grave acidente envolvendo uma ambulância do...

aluna-do-ifpb-cabedelo-disputa-premio-internacional-de-jovens-cientistas

Um aplicativo criado pela estudante do curso superior de Design Gráfico do IFPB no Campus Cabedelo está disputando o prêmio BRICS Young Innovator Prize 2018. O projeto Nina, criado por Simony César, rastreia casos de assédio em transporte público. A iniciativa foi a única brasileira indicada pela Academia Brasileira de Ciências (ABC) e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) para participar da premiação.

Além da estudante do Instituto Federal da Paraíba, estão concorrendo cientistas da Rússia, Índia, China e África do Sul, todos com menos de 30 anos. A disputa faz parte do 3º Fórum BRICS de Jovens Cientistas que começou nessa segunda-feira, 25 de junho, em Durban, na África do Sul, e vai até 29 de junho. Simony já está participando da programação do BRICS Scientist Forum. A premiação é de 25 mil dólares para o primeiro lugar, 15 mil no segundo e 10 mil no terceiro.
 
A aluna do IFPB também comemora que ganhou recentemente o edital InoveMob da Toyota Mobility Foundation e WRI Brasil. O intuito é financiar e acompanhar o desenvolvimento do projeto com o objetivo de solucionar questões relacionadas à mobilidade urbana em Recife, Natal e Fortaleza. Para isso, Simony César contou com o apoio institucional dos governos locais para inserir o Nina como botão dentro de aplicativos de transportes públicos.
 
“Pude contratar pessoas para trabalhar no Nina, que oficialmente agora é uma empresa, uma startup, aumentamos a escala de atuação da tecnologia possível também com esse financiamento da Toyota via equity free”, conta Simony que saiu de Recife para estudar no IFPB. Na segunda quinzena de agosto, o sistema já deve estar em funcionamento nas três capitais.
 
Simony César foi uma das 15 selecionadas na última edição da Red Bull Amaphiko, programa de inovação social da Red Bull, que apoia e oferece mentoria, formações e conexões a projetos de empreendedores sociais que estão mudando a realidade em seu entorno. O programa existe desde 2014 e está presente no Brasil, na África do Sul e nos Estados Unidos.
 
O aplicativo
 
O aplicativo Nina veio como uma resposta a experiências negativas vividas com o transporte público. A mãe foi cobradora de ônibus e ela teve um vizinho cobrador de coletivo que durante um assalto no veículo levou um tiro e ficou paraplégico. “Na minha família, muita gente trabalha em transporte público, tenho tio motorista de ônibus, prima maquinista e o tema mobilidade sempre foi presente. Meu primeiro estágio foi também em uma empresa de ônibus, eu sabia de todas as denúncias e me sentia impotente, mas precisava fazer alguma coisa”, relatou Simony.
 
O Nina é mais voltado à denúncia de assédio, quando uma mulher se sente invadida, ameaçada ou constrangida. 52 milhões de brasileiras foram assediadas em transportes públicos em 2016, mas apenas 10% dos casos chegaram ao conhecimento da polícia, de acordo com os dados divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
 
O sistema Nina pode ser inserido como botão dentro de qualquer aplicativo de mobilidade. Ele consegue auxiliar a vítima de forma emergencial, pois ativa usuários próximos. Pode ser usado também de modo preventivo, por meio da análise estatística de informações e identificação de linhas e pontos críticos para a mobilidade da mulher na cidade.
 
De acordo com o Instituto YouGov, 86% é a média brasileira de assédio sofrido por mulheres em espaços públicos. Quando questionadas sobre em que lugar mais sentem medo, 68% das mulheres não hesitaram ao dizer que temem andar no transporte público por conta da ameaça constante e 69% delas afirmaram ter como maior medo sair ou chegar em casa depois do escurecer. Está a mobilidade presente nos dois principais pontos de perigo expostos. 


Fonte: Portal Correio