Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

REAL JUREMA CAMPEÃ 2017 DO CAMPEONATO TAVARENSE DE FUTEBOL

 

 

 

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

Rádio Web

KM JUREMA CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E OUÇA A RÁDIO AO VIVO

Art Regina, Art com grafite

  Comunicação Audiovisual

STAR FOTO E VÍDEO

 

By Fábio Arrud@&Silvan@

Praça Coronel José Pereira -04

Centro-Princesa Isabel - PB

CONTATO: 041 83 999463213

         FECEBOOK

Polícia ainda não sabe quem causou acidente que deixou quatro mortos no Sertão da PB

Polícia ainda não sabe quem causou acidente que deixou quatro mortos no Sertão da PB

O carro de passeio ficou destruído com a colisãoFoto: Reprodução/WhatsAppQuatro...

Homem-bomba mata 14 pessoas no Afeganistão

Homem-bomba mata 14 pessoas no Afeganistão

Imagem da internet Um homem-bomba realizou um ataque perto do...

Queda de avião mata deputado estadual do PSDB

Queda de avião mata deputado estadual do PSDB

O deputado estadual Bernardo Ribas Carli (PSDB), 32 anos, morreu após a queda de uma...

Acidente envolvendo Ambulância de Conceição e Carro de Lucilene Gerente da Caixa de Itaporanga mata 4 pessoas

Acidente envolvendo Ambulância de Conceição e Carro de Lucilene Gerente da Caixa de Itaporanga mata 4 pessoas

O site Diamante Online apurou que um grave acidente envolvendo uma ambulância do...

1ª DP, em Brasília (Foto: Reprodução/TV Globo)

A médica pediatra Juliana de Pina Araújo é suspeita de matar por overdose de medicação o próprio filho de apenas 3 anos, nesta quinta-feira (28), em Brasília. Quando ela foi presa, a polícia encontrou envelopes com remédios de uso controlado no lixo e ao lado do corpo da criança, que foi encontrada morta na cama. Também foi encontrada uma mamadeira com leite ao lado do bebê, onde supostamente o remédio foi administrado.

 

A médica tem 34 anos, é servidora do Samu e sofre de depressão. De acordo com informações dos vizinhos, ela fez um corte no pescoço e correu pelas escadas do prédio, que fica localizado na Asa Sul, sangrando. O porteiro foi quem a segurou e os moradores chamaram a polícia. Ao entrar no apartamento perceberam que a criança não acordava. Devido as circunstâncias do caso, a justiça do Distrito Federal decidiu mantê-la em prisão por tempo indeterminado. (Via Correio24horas)