Pesquisa no Blog

Pesquisa no Google

 
bove=""

 

PADRE DJACY BRASILEIRO

NA LUTA CONSTANTE EM FAVOR

DA CLASSE MENOS FAVORECIDA 

Rádio Web

KM JUREMA

Org. Pauliano Tomaz

Art Regina, Art com Grafite

Comunicação Audiovisual -Tavares/PB.

 Fone: (83) 9 9869-8213. Hélio Mendes.

STAR FOTO E VÍDEO

 

By Fábio Arrud@&Silvan@

Praça Coronel José Pereira -04

Centro-Princesa Isabel - PB

CONTATO: 041 83 999463213

         FECEBOOK

Bandidos armados tomam celular de jovem no Povoado Jurema, em Tavares.

Bandidos armados tomam celular de jovem no Povoado Jurema, em Tavares.

Na noite desta terça-feira (23), dois bandidos provavelmente armado, tomaram um celular...

CCJ aprova por unanimidade lei de Wilson Filho que cria Mês de Enfrentamento às Drogas na PB

CCJ aprova por unanimidade lei de Wilson Filho que cria Mês de Enfrentamento às Drogas na PB

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB)...

FUNDAÇÃO LEMANN: I FORMAÇÃO ACONTECE ATRAVÉS DE VÍDEO CONFERÊNCIA EM PRINCESA ISABEL

FUNDAÇÃO LEMANN: I FORMAÇÃO ACONTECE ATRAVÉS DE VÍDEO CONFERÊNCIA EM PRINCESA ISABEL

Formadores das disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, participaram na tarde...

Gari sofre infarto fulminante quando fazia limpeza de praça central, na cidade de Diamante

Gari sofre infarto fulminante quando fazia limpeza de praça central, na cidade de Diamante

Um Servidor Público, ocupante da função de Gari, morreu vítima de um infarto fulminante...

Comissão da CMP livra prefeito Dinaldinho de cassação e arquiva denúncias

Comissão da CMP livra prefeito Dinaldinho de cassação e arquiva denúncias

A Câmara de Vereadores de Patos arquivou na noite desta terça-feira (23) o processo de...

 

Jornal da Paraíba

O Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu, por unanimidade, o pagamento de pensões a ex-governadores da Paraíba. A corte julgou na última quarta-feira (17) Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI). O questionamento sobre a constitucionalidade da lei aprovada na Assembleia Legislativa era feito pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O benefício foi aprovado em 2006 e, desde então, era pago a seis ex-governadores e ainda a oito viúvas de governadores paraibanos. Todos os benefícios, a partir de agora, se tornam inconstitucionais.

Relação dos ex-governadores beneficiados. Cássio Cunha Lima não aparece por conta de decisão anterior, que proibiu o recebimento. Foto: Reprodução

O penduricalho criado pela Assembleia Legislativa da Paraíba determinava que o subsídio mensal vitalício, a título de pensão especial, seria pago com recursos do tesouro estadual e equivale à remuneração do governador em exercício. Entre os beneficiários paraibanos, Cícero Lucena, Roberto Paulino e Milton Cabral comandaram o estado por menos de um ano e, mesmo assim, tiveram os mesmos direitos. Os outros beneficiários foram José Targino Maranhão (MDB), Wilson Braga e Cássio Cunha Lima (PSDB). Este último foi excluído da folha, recentemente, por determinação judicial. Ele já recebia o teto constitucional enquanto senador da República.

Para a OAB, a Assembleia Legislativa concedeu a esse pagamento o título de “pensão especial” na tentativa de mascarar a patente inconstitucionalidade. “O fato de a Constituição da República em vigor ser silente quanto à possibilidade de concessão de subsídio mensal e vitalício a ex-autoridades não pode ser interpretado em favor de dispositivos como o que ora se impugna, visto que a autonomia conferida aos estados membros pelo art. 25, parágrafo 1º, da Lei Maior, não é absoluta”, argumenta a OAB nesta nova ADI a respeito do tema.

Reprodução

A OAB ajuizou ADIs semelhantes para contestar a constitucionalidade do pagamento de aposentadorias a ex-governadores dos estados do Pará, Acre, Amazonas, Rondônia, Sergipe, Paraná, Rio Grande do Sul e Piauí. O Plenário do STF iniciou o julgamento do pedido de liminar feito na primeira ação (ADI 4552), que questiona o pagamento a ex-governadores paraenses. Após o voto da relatora, ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, concedendo a liminar para determinar a suspensão do pagamento do benefício, o ministro Dias Toffoli pediu vista dos autos.

Em relação à Paraíba, contabilizando-se apenas os casos dos ex-governadores, o prejuízo para o tesouro estadual era de R$ 1,5 milhão por ano.

Com informações de Josusmar Barbosa,